quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

O VENERÁVEL SÃO BEDA - PATRONO DOS ESCRITORES E LINGUÍSTAS





São Beda, ou o Venerável Beda (Bēda Venerābilis) foi um exponente monge inglês que viveu nos mosteiros São Pedro em Monkwearmouth e nos mosteiros de São Paulo em Jarrow, no noroeste da Inglaterra. Ficou muito conhecido por sua obra-prima "Historia ecclesiastica gentis Anglorum" ("História Eclesiástica do Povo Inglês") que lhe rendeu o título de pai da história do povo Inglês, amplamente reconhecido, inclusive entre os acadêmicos.

Foi exímio escritor, linguista e grande intelectual de seu tempo, além de habilidoso tradutor, função exercida que possibilitou tornar acessíveis os textos dos padres da igreja originalmente escritos em Latim e Grego, que fora traduzidos para as línguas Anglo-saxônicas, contribuindo com uma maior expansão do catolicismo inglês. Traduziu outras importantes obras como Eusébio e Osório.

No ano de 1899, o papa Leão XIII, deu ao Venerável São Beda, o titulo de Doutor da Igreja (Doctor Anglorum) sendo até hoje o único nativo da Grã-Betanha a alcançar essa importante posição, santo Agostinho era também, porem esse nasceu na Itália e foi morar na Cantuária na juventude, mas nativo mesmo, só o Venerável.

O jovem Beda não teve um momento de conversão extraordinária, como é normal nas histórias dos santos, aos sete anos de idade, a família lhe enviou para o mosteiro para ser educado por Bento Biscop, inicialmente não tinha a ideia de se tornar eclesiástico, a ideia da família era apenas ter uma educação clássica e uma fé viva em Cristo e na Igreja Católica. Se empenhou desde muito cedo em diversas atividades litúrgicas e em tarefas menores, no canto do ofício divino e até em contrução civil, ajudou a construir a Igreja original do mosteiro. Era muito prestativo, na época teria apenas quatorze anos.

Aos dezenove anos fora ordenado Diácono, por volta de 692, pelo seu bispo Dom João Beverley, a idade canônica exigida para a ordenação era de vinte e cinco anos, mas há quem diga que o seu talento já era excepcional, fazendo com que antecipasse. Sendo que na época existia ordens de graus menores, anteriores ao diaconato, alguns consideram que ele tenha iniciado no ministério ainda mais cedo, pois há registros que ele tenha exercido qualquer uma delas. Contudo, o presbiterado só veio mesmo aos trinta anos, por volta de 702, ordenado pelo mesmo bispo.

Ele nunca parou de escrever, deve se a isso, que é considerado o padroeiro dos escritores ingleses, escreveu mais de sessenta livros, dentre eles obras científicas, obras históricas e teológicas, livros sobre a arte métrica, livros didáticos para serem utilizados em sala de aula. Além de escritor, Beda era educador e gostava muito de musica, era um bom cantor e recitador de poesias. Alguns biógrafos divergem na interpretação de que ele não teria boa dicção e problemas pra falar publicamente, mas o certo é que era um valente incansável na formação cristã do seu povo.

A acusação de heresia e outras controvérsias:

Em 708, alguns monges da Abadia de Hexham acusaram Beda de heresia em sua obra "De Temporibus".  A visão teológica padrão para a história do mundo na época era conhecida como "seis épocas do mundo"; em seu texto, Beda tentou calcular a idade do mundo em vez de aceitar a autoridade de Isidoro de Sevilha, e acabou concluindo que Cristo havia nascido 3 952 anos depois da criação do mundo, em vez dos mais de 5 000 anos aceitos pelos teólogos na época. A acusação foi formalizada perante o novo bispo de Hexham, Vilfrido (Wilfrid), que estava numa festa quando alguns monges bêbados fizeram a acusação. Vilfrido não respondeu de imediato, mas um monge presente relatou o episódio por carta a Beda. Ele respondeu, poucos dias depois, apresentando sua defesa e pedindo que a carta fosse lida para Vilfrido.

Outra curiosidade está na interpretação de seus textos, que deixam a entender que São Berda era ou tinha sido casado. No "Comentário sobre as Sete Epístolas Católicas", ele escreve de uma forma que deixa a impressão de que ele seria casado. A seção em questão é a única da obra escrita em primeira pessoa. Segundo ele, as "orações são atrapalhadas pelos deveres conjugais, pois toda vez que realizo o que devo à minha esposa não consigo rezar". Em outra passagem, desta vez no "Comentário sobre Lucas", ele cita novamente uma esposa na primeira pessoa: "Eu possuía antigamente uma esposa na libidinosa paixão do desejo e hoje a possuo na honrosa santificação e verdadeiro amor de Cristo". A historiadora Benedicta Ward defende que, nestas passagens, Beda nada mais fez do que lançar mão de recursos retóricos para sublinhar seus pontos de vista.
 
Beda faleceu numa quinta-feira, 26 de maio de 735 ("Dia da Ascensão"), e foi enterrado em Jarrow. Cuteberto, um discípulo, escreveu uma carta para Cutvino (Cuthwin; sobre quem nada mais se sabe) descrevendo os últimos dias de Beda e sua morte. Segundo o relato, Beda ficou doente, "ataques frequentes de falta de ar, mas quase sempre sem dor", antes da Páscoa. Na quinta-feira, dias antes, morreu, com a respiração muito ruim e com os pés inchados. Ele continuou ditando para um secretário durante a doença e, mesmo tendo passado a noite em claro rezando, voltou a fazê-lo no dia seguinte. 

Às três horas da tarde, pediu que seu baú lhe fosse levado e distribuiu entre os padres do mosteiro "uns poucos tesouros" que possuía: "alguma pimenta, guardanapos e um pouco de incenso". Na mesma noite, ditou sua última frase para o escriba, um garoto chamado Vilberto (Wilberht) e morreu logo depois. Notker, o Gago, um monge da abadia de São Galo na moderna Suíça escreveu a impressionante horaria a cerca da influencia de São Beda ao cristianismo do Ocidente: 

"Deus, o ordenador de naturezas, que elevou o Sol no oriente no quarto dia da Criação, no sexto dia do mundo fez Beda se erguer no ocidente como o novo Sol para iluminar toda a Terra". Venerável São Beda, rogai por nós!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...