segunda-feira, 26 de maio de 2014

PEDIMOS LIBERDADE PARA A CRISTÃ SUDANESA, MERIAM YEHYA IBRAHIM CONDENADA À MORTE


Tomou repercussão internacional através dos principais sites e blogs católicos (Zenit,) e demais sites especializados e notícias internacionais, (G1, Veja, Portal Terra) o caso da sudanesa Meriam Yehiya Ibrahim, uma médica de 27 anos, casada com Daniel, com quem tem um filho de 20 meses e agora espera o segundo, a gravidez está no oitavo mês. Ambos são cristãos que vivem num país de maioria muçulmana. Aparentemente alguém pode considerar que esse post não tem nada a ver com a nossas vidas, visto que trata-se de uma situação de sofrimento de uma família muito distante da nossa, por se tratar de uma questão político/religiosa, devemos também colocar nossa barba de molho. Hoje são os países de maioria islã que estão proibindo o cristianismo, amanhã pode ser o Brasil, e pelo jeito que anda a atual conjectura politica de nossa nação, infelizmente, esse amanhã não está tão longe. 

No último dia 15 de maio, o tribunal sudanês condenou Meriam à pena de morte com a acusação de apostasia e adultério. A acusação de apostasia, segundo a sentença do tribunal islâmico que a julgou, fundamenta-se no fato de ela ser filha de um muçulmano. Isso faz com que ela seja obrigada a seguir o islamismo, apesar de ter decidido tornar-se cristã. Já a acusação de adultério fundamenta-se no fato de o seu matrimônio (cristão) ser considerado inválido.

Miriam sempre foi educada no cristianismo, porque apesar de seu pai ser muçulmano, sua mãe é cristã ortodoxa e foi ela quem a educou desde a infância, após o pai ter abandonado a família. Os advogados de Miriam afirmam que os juízes deram a ela três dias para que se arrependesse e mudasse de idéia. Ela negou-se a fazê-lo. Não abjurou. Reiterou a sua fé cristã e o fez sabendo que isso poderia leva-la à morte. Não é impressionante?

O caso de Meriam gerou uma enorme polêmica no Sudão. No dia do julgamento houve uma manifestação na porta do tribunal com o pedido de liberdade religiosa. Houve também outras manifestações nas quais as pessoas gritavam "Alá é grande”. Como você pode imaginar, a reação internacional tem sido intensa. A Anistia Internacional e o Ministro do Exterior inglês já mostraram sua preocupação com o caso de Meriam.
Queremos pedir liberdade religiosa para o cristianismo nos países do Sudão e demais do oriente médio. Quase 100.000 pessoas de diversos países já assinaram a campanha através do site CitizenGO, e nós da CANTINA LITERÁRIA somos parceiros desse site na divulgações dessas manifestações.  Para exigir que o presidente sudanês liberte Meriam imediatamente e tome medidas para garantir a liberdade religiosa acesse os links abaixo, some-se a esse movimento mundial:

Segue os links caso queiram se inteirar do assunto e participarem da petição publica
Escreva ao presidente do Sudão para pedir a libertação imediata de Meriam e o respeito à liberdade religiosa:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...