terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

APRENDI COM DONA ARGENTINA EM UM SÓ DIA A “SUMA TEOLÓGICA DE SANTO TOMÁS DE AQUINO”



 Testemunho:

Resolvemos com alguns amigos subir à periferia de nossa cidade na véspera das festividades do Natal de 2009 para entregar cestas básicas às famílias carentes e aproveitarmos o espirito natalino para refletirmos juntos, a palavra de Deus e a oração. Foi nesse clima que tive o privilégio de conhecer dona Argentina, uma simpática senhora dos seus 72 anos muito bem vividos e aparentados. Havíamos entregado todas as cestas básicas e aquele pequeno casebre feito de lixa e pedaços de madeira era o nosso destinatário final naquela tarde de sábado. Fomos acolhidos com muito carinho e simplicidade pela senhora, dona de um sorriso distante e um olhar sereno, as suas muitas rugas era o flagrante vivo do sofrimento que as injustiças de um sistema econômico brasileiro falido não a pouparam. 

Num instante de repente, entre um café e um dedo de proza, fui motivado pela alegria da gentil senhora e sua espontaneidade, que chamei num canto os amigos e combinei juntar com eles algumas provisões para comprar-lhe um presente e o trazer na semana seguinte.
 “– Dona Argentina, a visita em sua casa muito nos alegrou, estou disposto a dar à senhora um presente de Natal, o que a senhora quiser ganhar, peça qualquer coisa que providenciaremos e lhe traremos na próxima semana.”

Eu estava certo que a pergunta fora um tanto inusitada, e se a pobre senhora nos pedisse uma casa própria, por exemplo, estaríamos em maus lençóis, visto que fora dito: “qualquer coisa”, sem espaço para ambiguidades. Dona Argentina, com o mesmo sorriso nos lábios e sem titubear nos respondeu na mesma clareza das palavras e verbos que conjugara ao nos contar os sofridos causos de sua mocidade. 
– “Oh meu filho, eu não preciso de muitas coisas pra viver, apesar dessa simplicidade que você esta vendo que eu vivo meu dia a dia, mas tem uma coisa que me dói o coração, ha mais de dois anos eu não comungo por causa de minha dificuldade de locomoção para ir até a Igreja... Neste momento uma teimosa lágrima lhe escapa aos olhos, e em seguida continuou: - Tudo que eu mais queria nessa vida, era poder comungar de novo o santíssimo sacramento, mas não consigo chegar à Igreja!”.

Na semana seguinte a providencia divina nos proporcionou levarmos até ela o senhor Bispo diocesano Dom Odilom (Diocese Itabira Coronel Fabriciano), que cuidadosamente lhe atendeu em confissão aplicou lhe os sacramentos da unção dos enfermos e por fim a tão almejada sagrada Eucaristia. Jamais vira um penitente tão sensível diante de Jesus eucarístico como dona Argentina naquela tarde de sol escaldante, que passou a receber Jesus em tempos intercalados até o ultimo dia, em que Ele próprio a recebera para junto de si.

Conta-se que numa experiência mística alguns confrades relataram ter visto milagrosamente a imagem de Cristo dizer à Santo Tomás de Aquino, após terminar de redigir a Suma Teológica que veio a ser uma das mais importantes obras da teologia cristã dos últimos séculos: “- Falastes bem de mim Tomás, o que queres como recompensa?” Ao passo que Tomás respondeu-lhe prontamente: “Nada além de ti Senhor!”