sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

MARIA, A MULHER DO ADVENTO!

Sermão do primeiro Domingo do Advento, por Claudio Roberto da Silva

O mês de Dezembro é muito especial para o cristianismo, pois marca a comemoração da natividade de Cristo. Para o católico essa data é ainda mais importante, pois a liturgia nos leva a vivenciar o grande Advento, estamos em vigília e oração constante na espera da vinda gloriosa do Rei dos reis.  Durante este tempo, os fiéis são exortados a se prepararam dignamente para celebrar o aniversário da vinda do Senhor ao mundo como a encarnação do Deus de amor, de maneira que suas almas sejam moradas adequadas ao Redentor que vem através da Sagrada Comunhão e da graça, e em conseqüência estejam preparadas para sua vinda final como juiz, na morte e no fim do mundo.

Nesse tempo litúrgico, a Igreja apresenta Maria como grande modelo e protagonista do advento católico, é inserido no mês importantes festas Marianas, em preparação ao Natal: Dia 8, festa da Imaculada Conceição, dia 12, festa de Nossa Senhora de Guadalupe e por fim no dia 29, festa da sagrada família. 

Após a escassez de santidade sobre a terra (Salmo 14, 2), Maria fora escolhida pra gerar o Filho de Deus (Lc. 1, 38), este que seria a salvação da raça humana, inclusive a sua própria salvação, por antecipação. Ela esteve ao lado de Jesus em sua tão corrida vida pública (Lc. 11,27), ela é lembrada não somente como aquela que doou a barriga para ser gerado o Filho-Deus, mas como aquela que ouviu a palavra e a pôs em prática (Lc. 8,21). 

Maria é cumprimentada pelo anjo como aquela que é cheia de graça. Se os anjos são habitantes das regiões celestes, logo sua linguagem toda é do céu, sem nenhuma interferência humana, dessa forma podemos afirmar que somente por méritos divinos a ela chamamos de “agraciada” (Lc 1,26). Como se não bastasse a cheia de graça esteve em pentecostes com os discípulos para receber o Espírito Santo (At. 2,1ss) dando exemplo aos seus devotos que nunca é demais buscar a Deus. Maria estava ao pé da Cruz (Jo. 19,24) vendo o seu filho padecer sem culpa, e logo após a sua morte fora levada para a casa de João o discípulo amado (Jo. 19. 27). Maria foi testemunha da ressurreição de seu filho juntamente com os discípulos (Jo. 20,19) e aproximadamente cinqüenta dias depois já estava congregando com a pequena comunidade apostólica no cenáculo em pentecostes.

A celebração litúrgica do tempo do advento nos ajuda a pensar que não é nenhum exagero de hermenêutica dizer que a mãe do salvador será o amparo dos cristãos no grande dia de sua segunda vinda, visto que muitos teólogos já afirmaram essa realidade ao longo dos séculos, tais como, Santo Afonso de Ligório, São Luiz Maria de Monfort e outros grandes santos e doutores. Ela esteve com Jesus em todos os principais eventos evangélicos narrados por Lucas e João, porque não estaria nesse que será o grande evento? Em Fátima Maria disse aos pastorezinhos, dentre eles Lúcia que relatou ao Bispo de Leiria as palavras tal como ouvira da própria Senhora “Por fim o meu Imaculado Coração triunfará!”.

No livro do Apocalipce capítulo 12, João o discípulo amado, o mesmo que levara Maria pra casa (Jo. 19, 27) relata a sua visão “uma mulher revestida de sol, tendo a lua debaixo de seus pés.” (Ap. 12,1) e nos dá uma idéia de como a mãe do salvador nos prestará o seu auxilio no advento do grande dia final. Ela gritava com a ânsia de dar a luz. Neste contexto  o Cristo já nos nasceu, seu grito agora porém é um forte apelo aos cristãos de voltarem novamente os seus olhos para Deus, Maria nos chama à conversão para escaparmos do vomito da serpente, não é atoa que em várias aparições de Nossa Senhora ao longo desses dois mil anos de devoção ela nos exorta “convertei-vos!”



Para aprofundar:

A CANTINA LITERÁRIA selecionou alguns textos de Teologia mariana, postado em anos anteriores para que você possa mergulhar um pouco mais no tema:







Um bom advento a todos e um Feliz Natal!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...