terça-feira, 18 de junho de 2013

PROTESTOS EM TODO BRASIL: OS ANSEIOS POR LIBERDADE POR TRÁS DAS MÁSCARAS DE GÁS



Estamos assistindo a um verdadeiro caos, um campo de batalha ao redor do país devido aos vários protestos que estão pipocando aos quatro cantos de nossa nação, protestos esses que permeiam desde o campo das ideias, politicagem e até a atos de vandalismo. Manifestantes que incendeiam carros e ônibus frente ao planalto central, trânsito parado nas ruas engarrafadas de Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e outras capitais pelos manifestantes que gritam por melhores preços das passagens e quanto a incompatibilidade dos gastos com a copa do mundo e outros eventos patrocinados pelo governo, por melhores investimentos na saúde e redução da pobreza.
 Não há dúvidas que esse fenômeno é produto de nossa era, a era da informação como ferramentas do saber e das redes sociais como instrumentos de ajuntamentos populares. Dessa forma os livros, textos e manuais de leis e de direitos estão cada vez mais acessíveis a todos, Não é difícil encontrar adolescentes de espinhas no rosto especialistas em leis e conhecer bem os seus direitos e defende-los como se fossem juízes. Neste contexto, cabe uma boa reflexão: qual tipo de liberdade permeia o imaginário humano? E qual liberdade lhe seria ideal? Através desses mecanismos, seria possível se pensar nessa tão sonhada liberdade, e ainda sim no bem da humanidade? Infelizmente devo sentenciar que não. Não há esperança para essa criatura que resolveu romper com o seu Criador e tomar suas próprias inclinações e por elas lutar com as próprias forças como se Ele não existisse. Seria ultrapassado acreditar que existe um Deus no controle daquilo que Ele próprio criou?
É claro que sabemos que todas essas reinvindicações são pertinentes e necessárias, os gritos por justiça e contra a corrupção não devem ser calados, mas como pensador cristão devo tentar analisar a questão mais profundamente, ou seja, em sua raiz, e se analisarmos a raiz do problema concluiremos que por traz dessas reinvindicações estão mascarados os reais anseios por uma liberdade de defender o que se pensa e  o que se acredita a qualquer custo e uma falsa sensação de autonomia da criatura sem a interferência do seu Criador.
Tão logo, o catecismo da Igreja católica propõe que recorrer a Deus (Criador) através da fé não contraria a liberdade e nem à inteligência do homem (CIC 154), ao contrario nos faz reconhecer nossos próprios limites e ilumina nossas decisões quanto à direção acertada para o bem comum a todos. A Igreja é mestra quando orienta, é mestra por ter recebido do Mestre tal incumbência e também por ser uma senhora de longos anos, não está presa ao agora, ao imediato. A Igreja não pensa no homem de hoje e em seus problemas de hoje, ela pensa no homem e seus problemas de sempre, ou seja, de ontem, de hoje e de amanha, em contrapartida o homem por está enraizado em sua própria contemporaneidade, suas decisões dificilmente corresponderão às necessidades de outros tempos.

E se é pra ouvir a Igreja, como mãe e mestra quanto a verdadeira vida em plenitude e a Liberdade em amplitude para toda a raça humana, essa nos atesta que tal liberdade só se encontra em Jesus Cristo e na observância de seus mandamentos, só Ele pode nos dá, e nEle o homem se encontra pleno em sua identidade humana. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espirito diz a Igreja.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...