terça-feira, 29 de janeiro de 2013

AFINAL DE CONTAS, NOSSA SENHORA MORREU?

Um novo olhar por sobre a morte!

Esse talvez tenha sido o grande questionamento feito não somente por católicos, mas em todo o cristianismo de todos os tempos: Afinal de contas Maria morreu ou não morreu? Pra tentar ajudar nesta questão irei traçar algumas linhas me valendo e interpretando alguns textos oficiais da Igreja. Bem, ao inicio levarei em conta duas máximas que ajudarão na reflexão. A primeira é que, a respeito de Maria só existem quatro dogmas, os quais são: Maria mãe de Deus, perpétua virgindade de Maria, a Imaculada conceição de Maria e a Assunção de Maria. Presumo que o amigo leitor saiba da importância de um dogma para a doutrina católica. De origem grega, quer dizer literalmente “o que se pensa é verdade”. No cristianismo o dogma tomou uma conotação definitiva, para se concluir que tal assunto é verdade de fé e indiscutível. Para um católico é exigido sobre pena de excomunhão a crença na verdade contida em um dogma definido oficialmente pela Igreja.



A outra máxima parte do princípio aristotélico, que afirma “todo homem é mortal”, é claro que não tem nada a ver com doutrina, mas todos sabem que a morte é comum de todo ser humano, a morte é uma passagem natural que todo homem deve passar, e inclusive o próprio Jesus Cristo, que é cem por cento homem e cem por cento Deus, passou pela morte, e sendo natural e inerente ao homem, a morte não o deixa menos santo, logo, pensar na hipótese de que Maria também morreu não é diminuir em nada a sua santidade e importância para a Igreja, pelo contrário a dignifica como ser humano como todos nós somos, uma mulher que foi santa, que como afirma os dogmas, foi a mãe de Deus, continuou virgem antes e depois do nascimento de Jesus, foi concebida e concebeu sem a presença do pecado e por fim, foi assumida ao céu em corpo e alma.



UMA MORTE DUVIDOSA



É evidente que não é tão simples assim, apenas dizer que ela morreu e concluir o texto, muitos santos e teólogos, ou santos teólogos, sobretudo santos da era medieval como São Luiz Maria Monfort, defenderam a hipótese da chamada “dormição de Maria” ou seja, a Mãe de Deus não teria passado pelo processo natural da morte e sim pelo processo de dormição, que teria a mesma essência da morte mas não seria propriamente a morte. Essa crença que acompanhou a Igreja durante séculos tem uma base fortíssima nas sagradas escrituras, nos seguintes textos: (Genesis 3.) (Sabedoria 2, 23-24) (Romanos 5,12; 1 Corintios 15,21). Todos esses textos falam que a morte entrou no mundo por causa do pecado, logo se Maria não cometeu pecado, ela não teria passado pela morte que é a sua consequência.



Apesar de todas essas evidencias bíblicas, a questão sempre dividiu estudiosos em todos os tempos, muitos ainda defendiam a tese de que ela teria sim passado pela morte uma vez que tal é a condição de todo ser humano. Em 1950 o Papa Pio XII declarava o quarto dogma mariano, a Assunção de Maria, a esse evento criou-se uma grande expectativa entre os estudiosos, com o dogma seria decretado o fim de toda essa discursão milenar. Porem o ponto de interrogação continuou a especular, vejamos o que foi dito pelo sumo pontífice para a consumação do dogma:


“Declaramos ser dogma divinamente revelado que a Imaculada Mãe de Deus, terminado o curso da sua vida na terra, foi levada em corpo e alma à glória do céu.”


Teológicamente afirma-se que o Papa Pio XII deixou o problema sem resolver, pois em nenhum momento o documento trata sobre a morte ou não de Maria, pelo contrário afirma que a mesma foi elevada ao céu depois de terminado o seu curso vital, ou seja, depois da morte, porem nem mesmo essa afirmação seria suficiente para termos seguraça em dizer que ela definitivamente morreu. Finalmente em 1997, Papa João Paulo II, hoje beato e de saudosa memoria encerrou a questão. Numa catequese semanal tratou do assunto e definiu mediante à uma serie de evidencias da Sagrada Escritura, da Sagrada Tradição e do Sagrado Magistério que Maria mãe de Jesus morreu, experimentando assim, em sua própria carne o drama da morte, como toda criatura humana.



Em seu discurso o Santo Padre teve como base três elementos de suma importancia, o fato de que há uma lista seleta de Santos dos primeiros séculos que deixaram registrado na Sagrada Tradição que Maria de fato passou pela morte. Santos de renome como Santo Epifâncio (+403) Santo Ambrosio (+397), São Gerônimo ( +420), Santo Agostinho (+430) dentre outros. Outro fato, e que eu pessoalmente acho mais relevante é que Jesus sendo Deus morreu, e todos os outros personagens biblicos (exceto os personagens citados no fenomeno do Arrebatamento) morreram, logo, se aceitarmos a hipótese de que Maria não morreu, estamos dando a ela um previlégio acima de todos e até do proprio Cristo. Essa idéia biblica rebate a questão da morte como salário do pecado entendida neste contexto e fora do contexto original, pois se Jesus morreu mesmo sem ter pecado, por que haveria de ser diferente com sua mãe? E por fim o Santo Padre terminou sua defesa com a sentença de que sem morte é impossível haver ressurreição. Si acreditamos que Maria ressucitou como primícia dos outros mortais que morreriam e haveriam de ressucitar, ela de fato passou pela morte.



Esse discurso de Joao Paulo II serviu não somente para resouver um “problema” milenar, como tambem nos sugere repensar a morte mais naturalmente e não mais demonizá-la como na idade média. A morte é um processo natural, por mais que o Apostolo Paulo afirmou que ela é o salário do pecado, deve-se buscar em que contexto surge essa afirmação, pois em outro momento podemos ler o outro Apostolo (João) dizer no livro do Apocalípce: “Felizes o que agora em diante morrem no Senhor” (14,13). Se a morte entrou no mundo por inveja de Satanás (Sabedoria 2, 23-24), o Senhor com sua morte deu a ela um novo sentido, como uma passagem natural do homem natural ao sobrenatural.

Salve Maria,


REFERENCIA BIBLIOGRAFICA:

PAULO II, João: A Virgem Maria as 58 catequese do Papa João Paulo II, Editora Cleófas.

CIC, Catecismo da Igreja Católica: Edição 1998.

BIBLIA SAGRADA, Tradução Jeruzalem.

FONTE DE PESQUISA:

http://noticias.cancaonova.com/noticia.php?id=284522

http://www.significados.com.br/dogma/

http://www.capuchinhos.org/siteantigo/porciuncula/biblia_responde/virgem_maria_morreu.htm

http://mfcmamonas.no.comunidades.net/index.php?pagina=1084964970_05



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...